Eu tenho TINDER e daí?

Como eu contei no último post-texto eu terminei um namoro de quase 2 anos em março do ano passado e como minha vida era trabalho e namoro (quase não encontrava meus amigos), logo que eu terminei não sabia direito como retomar a vida de solteira – vulgo – curtição, conhecer pessoas novas, etc, já que estava desabituada com o universo e o meu ambiente de trabalho é predominantemente gay.
Então, conversando com minha prima (manterei o sigilo do seu nome, tá prima? rs), ela me perguntou porque eu não abria um perfil no Tinder, (que na época estava bombando aqui no Brasil), eu até então nem me imaginava num cardápio virtual me oferecendo como AVAILABLE e tive um certo medo-preconceito, ela me convenceu que conheceu pessoas legais por ali e ainda disse: “Prima, hoje, todo mundo tem Tinder”. Incrível como essa frase clichê convence a gente a fazer quase tudo né? Então criei um perfil nessa tal Rede-Social.

tinder
Na época estávamos em pré Copa do Mundo, por isso tinham vários gringos e turistas usando o app, o que pra mim era muito melhor já que não teria a obrigação de conhecer alguém do meu bairro que me reconhecesse na academia, por exemplo, e tinham muitos caras bonitos usando o app, o que eu achava no meu preconceito que só jaburu usasse. Nada contra os jaburus gente, mas, o app é totalmente voltado pra atração física, afinal, o like é somente por fotos e ponto, vc não sabe nada profundo sobre a pessoa até que dê um match e comece um bate-papo.
Após alguns likes e  matchs, começaram uns bate-papos por ali mesmo com aqueles clichês de “Onde vc mora”, “O que faz da vida”, “O que faz no Tinder”, “Etc. Alguns vc já dá um block ali mesmo por não sentir afinidade em alguma dessas respostas e os que passam pela peneira vc troca o whatsapp ou facebook pra ver se a pessoa existe mesmo, se tem referências de amigos em comum, se não é um psicopata ou algo do gênero, (só eu faço esse checkin??)
Após toda essa checagem (eu não sou neurótica, apenas prezo pela minha segurança e ficadica pra todas as mulheres fazerem o mesmo), começa mais uma etapa de bate-papo dessa vez pelo face ou whatsapp com perguntas mais elaboradas pra ver se vale mesmo a pena conhecer pessoalmente. Não sei se só eu sou criteriosa assim, mas é porque como eu não tenho mais paciência pra conhecer gente nada a ver, e se os apps estão aí justamente pra otimizarmos nosso tempo, prefiro peneirar bem antes de sair de casa pra conhecer alguém, mesmo que seja só pra amizade é muito mais legal vc conhecer alguém que tenha afinidade com vc, do que chegar no restaurante ou barzinho e descobrir que o cara é um mala.
imageNem todos os que eu conheci eu fiquei, na verdade a maioria eu fiz uma amizade legal sem beijo na boca, porque não me sinto na obrigação de beijar ou ficar com um cara só porque marquei um encontro, (sorry guys, a maioria dos homens pensa o contrário, mas fico feliz quando conheço alguém que pensa como eu).
Nesses encontros e desencontros descobri que muitos homens bonitos e interessantes acima dos 30 ou quase lá usam o Tinder justamente por também estarem de saco cheio de balada e por também querer otimizar o tempo em peneirar as pessoas pelo papo prévio, já que a nossa vida hoje se resume a trabalho-casa e amigos casados. Assim fui perdendo o preconceito com o Tinder e me divertindo com essa nova forma de conhecer pessoas e até fazer amizades.
Descobri também que  muitas pessoas que tem preconceito com o Tinder adorariam fazer um perfil lá e ficam pedindo pra ouvir as histórias sobre os encontros dos amigos e amigas que tem. Hello hipocrisia hein meu povo?! 😉

Conheci algumas malas no caminho? Sim, por incrível que pareça mesmo com toda a minha prevenção, ainda vazou alguns malas pela peneira, a dica é: Termine o jantar antes (ou o drink) e diga q está super cansada e tem que acordar cedo e que só foi tomar um drink pra se conhecerem mesmo. Educação e ponto final.

E pra quem ainda tem preconceito com o app, ouvi uma definição que achei perfeita que resume o Tinder e me ajudou a não ter preconceito. “O Tinder apenas apresenta a você pessoas que normalmente vc não conheceria”. É como se fosse uma “balada virtual”, não é só porque você está lá que tem obrigação de ficar com as pessoas que conversa.
E ainda digo pra galera do “mais de 30” que é uma ótima forma de conhecer gente sem precisar perder tempo em balada sem graça e sem sair de casa, afinal, só se o papo agradar, vai ou não pra vida real.
E se eu já encontrei meu amor por ali? Hmmm, isso vcs vão saber com o tempo. Prometo que conto aqui assim que eu souber tb! 😉

bjs

Anúncios

Um comentário sobre “Eu tenho TINDER e daí?

  1. Pingback: Como usar o Tinder | yestrinta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s