Saber escolher

Tem uma coisa que talvez vocês também compartilhem comigo, desde que completei 30 anos vejo a minha vida toda passar na cabeça como um filme e a sensação é de: “E agora? Qual desenrolar vou querer pra minha trama Hollywoodiana?” Nem falo de final de filme, porque aos 30 o final está bem longe (ainda bem), mas o desenrolar é presente e tão (ou mais) importante que o fim, pois nos levará a ele.
Por sorte, (ou não rs) percebi que não só eu passava pela mesma sensação de “Será que fiz as escolhas certas?”, “Ainda dá tempo de escolher outra coisa?”, “Vou querer fazer isto pro resto da vida?”
E estes questionamentos passam por todos os setores, desde profissão até um relacionamento que começamos a ter dúvidas se queremos levar pra vida e na insegurança de decidir, algumas de nós acabamos nos estagnando por um tempo.escolhas
Eu pertenço a este grupo da estagnação, por 3 anos fiquei em cima do meu muro pessoal sem querer (ou saber) decidir nada e deixando o barco correr, o trabalho que aparecia eu pegava, o cara legal/gato que aparecia eu pegava, e assim eu era escolhida e não a agente da escolha, isto por longos 3 anos.
Este ano completei 33, como já disse aqui no blog, e junto com este número veio o “CHEGA!” cansei de postergar as decisões da minha vida, cansei de postergar os meus sonhos ou a tentativa deles, cansei de postergar a felicidade propriamente dita, e decidi começar a sair da inércia em todas as áreas. E leia-se sair da inércia no meu caso não é me jogar em tudo que aparecesse, era justamente o contrário, passar a ESCOLHER.
Escolher sempre foi muito difícil pra mim, sempre preferia que escolhessem por mim, talvez síndrome da filha única que sempre teve “tudo” às mãos, ou Freud explica, o medo da culpa pela escolha errada, então aprender a escolher com minhas próprias mãos e responsabilidade é o sair da inércia no meu caso e está sendo bem difícil, mas necessário.
Saber dizer não a propostas de trabalho que aparentemente são interessante financeiramente, mas não profissionalmente, saber dizer não pra boys gatos só pela beleza e a escolher mais pelo conteúdo e relevância (leia-se, valores), saber dizer alguns nãos pra prazeres imediatos como açúcar, álcool, sexo, etc com aquela desculpa de que a vida é uma só e temos que aproveitar cada minuto. Opa! Isso é pensamento dos 20 anos, irresponsável, imediatista, precipitado, aos 30 temos a responsabilidade de saber escolher e ter aprendido que a calma é que leva à excelência, e tenho aprendido.
O que tem me ajudado muito nessa busca é voltar à minha espiritualidade, não vou falar aqui de religião porque cada um tem a sua, mas falo de equilíbrio, auto-conhecimento, fé no transcendental.

Não falo que é fácil e que não caio em tentação muitas e vezes, mas caio cada vez menos, e cada vez que digo um não, me fortaleço para os outros nãos.
Não falo que não continuo amando doces, um champagne e sexo, continuo e sempre continuarei e não há nada de errado nisso, mas hoje EU escolho os momentos em que quero cada um deles, momentos em que eu esteja bem e não carente pra uso de nenhum deles. Esta é a pergunta mais correta que você deve se fazer antes de comer aquele churros, beber aquela vodka ou transar com aquele boy, e é a dica mais valiosa que eu dou.

😉

bjs

Anúncios

Um comentário sobre “Saber escolher

  1. Pingback: Eu tenho TINDER e daí? | yestrinta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s